105

Nesta quinta-feira (27), a influenciadora digital opinou que os traumas pessoais da designer de unhas podem ter influenciado o surto desta madrugada, quando a integrante da Pipoca ameaçou abandonar o reality.

“É algo que ela trouxe da história dela, lá de fora, entendeu? É um lugar que é cansativo para ela estar, entendeu? Ela falou que não se sentia como primeira opção lá fora, na vida dela. Traz outras histórias, outras dores, e aconteceu de novo. Não é culpa, aconteceu”, disse Jade, e Brunna Gonçalves complementou: “É um gatilho”.

A irmã de Leo Picon concordou com a mulher de Ludmilla e prosseguiu com o relato: “[Para a Natália, é algo como:] ‘Porra, tô exausta, caralho! De novo!'”. “Mas é que tudo se repete para a gente aprender, né? As situações que aparecem na nossa vida, quando indicam um padrão, é um sinal. Todos nós temos nossas dores”, rebateu Bárbara Heck.

“Cara, mas não quando envolve assuntos mais delicados, sabe?”, ponderou Jade. “Tá, mas acho que é sobre como a pessoa lida. Outras pessoas lidam de forma mais madura, ou menos. Ela não aprendeu a lidar com algumas coisas e aqui, ela ainda sente isso muito forte, é o processo dela”, argumentou Eslovênia.

Durante o bate-papo, Bárbara também disse que o beijo entre Bissoli e Eslovênia “feriu o ego” de Natália. “Ela é uma pessoa, pelo que vejo, que se incomoda quando vê que tem outra pessoa chamando mais atenção que ela”, comentou a gaúcha.

Na live Consultório BBB, o médico Jairo Bouer analisou a reação de Natália. “Será que é ciúme, será que é rejeição? Acho que é um pouco de tudo misturado. Quando a gente tem uma reação dessas, normalmente são coisas que vão acumulando, chega uma hora em que você estoura. Talvez ela estivesse a fim do cara. Ela passa o dia todo com ele e não fica com ninguém. De repente, ele vai lá e fica com outra.”

“Essa coisa do ciúme, da competição dentro do jogo e, de repente, ele preferiu outra e não ela, isso é um elemento importante. Então ali dá para ver um ciúme, mas tem rejeição também. A Natália vem de um paredão, também há esse componente. A gente não sabe a história dela, mas talvez ela venha de outras histórias de rejeição ao longo da vida. Por causa do vitiligo, por causa da situação social dela. Vários motivos podem ter feito ela se sentir rejeitada”, destacou o profissional.

“Também pode haver questões de autoimagem, autoestima e, naquele momento, aquilo pode ter pesado. E some-se a isso o álcool, que é um catalisador de catástrofes emocionais, de exageros. Então, nesse momento, ela fez um coquetel poderoso e teve uma descompensação. Por isso ela até ameaçou apertar o botão”, refletiu Bouer.

Fonte: Notícias da TV

Por: Equipe Viva São Gonçalo


0 Comments

O seu endereço de email não será publicado.

Porfavor, ajude o Viva São Gonçalo desligando o seu adblock.

Somos um portal de comunicação livre que busca novas formas de produção e distribuição de informação a partir da tecnologia. Entendemos a comunicação democrática como um direito humano e defendemos o interesse público, a diversidade cultural e o direito à informação, visibilizando pautas de comunicação, causas identitárias, cultura, meio ambiente, juventude e outras que dialogam com os desafios do século XXI.

 

Agradecemos sua colaboração.